sexta-feira, 20 de julho de 2012

Coitada da Cumade Jaqueline



Imagem inline 1


Isso foi nos anos sessenta. Zé de Ciço, caba da peste do Cariri, era devoto do padim Ciço e já tinha batizado quase todos os meninos com o nome de Cícero, em homenagem ao santo do sertão. Era “Ciço” pra cá, “Cicim” pra lá que num acabava mais!

A mulher já barriguda de mais um “cumedozim de rapadura” chegou pra ele e perguntou, mode como quem num quer nada:

- Ô Zé, cumé mermo o nome qui tu qué dá pru nosso minino? Tu falô mas já misquici.

— Ôxente, Muié! Vai ser “Dion Quenedi”, aquele prisidente americano virado na gota! E tem mais: vamos dar ele de afilhado. O pade dixe que vai ser mêi dificil...o hôme lá é mêi ocupado.

- Vixe! Tu tem cada ideia! Êita!

Zé de Ciço pediu ajuda na prefeitura de Juazeiro e por sorte do destino, tinha um gringo visitando a cidade que achou a ideia interessante e de pronto enviaram uma carta para embaixada dos Estados Unidos em Brasília, endereçada ao próprio presidente John Kennedy.

Para a surpresa do padre e do prefeito, a própria embaixada respondeu a carta dizendo que o presidente John Kennedy ficava muito honrado com o convite. Só não podia comparecer ao batizado do afilhado.

Ora, isso era o de menos! já foi mais do que o suficiente pro Zé de Ciço se sentir íntimo do presidente, e a partir de então se tornou o cumpade do presidente dos Estados Unidos, conhecido em toda a região do Cariri.

Aí teve um dia que Zé de Ciço tava no roçado e ouviu no radinho de pilha a notícia da morte do presidente dos Estados Unidos John Kennedy. Foi um susto danado! O pobre homem correu pra casa arrasado, desconsolado, inconformado. A pobre da mulher sem entender o acontecido perguntou:

 Diabéisso, Zé! Foi mordido de cobra, foi?

— Ôxente! Muié! Agorinha aconteceu uma disgraça na nossa famía!

— Nossa Senhora das Dores! Que foi home de Deus? Diga logo, pela hóstia!

 Sabe o nosso cumpade? O padim do Quenedim? Pois foi muié! Parece que se abufelou com um caba lá nas terras dele!

 Mas ele tá bem? E qual foi a disgraça, home? Ôxente!

— Mataram o cumpade Dion, muié! Mataro ele de bala!

- Meu Deus do Céu! Como isso foi acontecê, Zé! Tadinha da cumade Jaqueline!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poema agraciado no XX Prêmio Ideal Clube de Literatura 2018

Ponte Metálica ou Ponte dos Ingleses na Praia de Iracema em Fortaleza. (Foto Newton Silva). PONTE DOS INGLESES  O ideograma do te...