sexta-feira, 28 de março de 2014

O PADRE

O Diabo rebatizando um bruxo (Compendium Maleficarum, 1610).

O velho padre passava por noites inteiras insones. O desejo sexual por crianças lhe apunhalava constantemente a sanidade, rasgava-lhe a carne em frangalhos, atormentava-lhe a alma como uma fome insaciável. 

sexta-feira, 21 de março de 2014

O FEITIÇO





O preto entrou na tenda da cigana. Ele era de raça preta subsaariana, quase azulada, banto de cor e alma. Os olhos sanguíneos, vermelhos, denunciavam-lhe a descendência racial direta dos quilombolas.

sexta-feira, 14 de março de 2014

OBSESSÃO


Quem tem culpa de sangue, caminha cambaleante, assim de lado, com as pernas pensas, como se portasse uma dor, uma agulha na carne. Tal e qual num poema de Leminski:

Carrega o peso da dor,
Como se portasse medalhas, 
Uma coroa, 
Um milhão de dólares 
Ou coisa que os valha.

sexta-feira, 7 de março de 2014

A MOÇA QUE FOI AMALDIÇOADA E VIROU UMA CACHORRA

Imagem do Blog  Grocery Store Feet

A menina era linda, bem-educada, filha única de coronel, por isso, muito mimada. Criava desde novinha, com todo o carinho do mundo, uma cachorrinha de estimação, que cuidava como se fosse uma filha.

Aconteceu que no mesmo dia em que o padre Cícero Romão morreu, a cachorra também adoeceu, assim duma hora pra outra, e também morreu, a bichinha. A menina, muito mimada, ficou muito triste, acabrunhada e chorosa. Inconsolável, preparou para a cachorrinha um velório com vela, sentinela e tudo o mais.

O CANHÃO DO EMÍLIO SÁ CONTRA A JAGUNÇADA DO PADRE CÍCERO

Vendo passar o padre, com o pesado bordão com que costumava andar, seguido de um bando de fanáticos, disse: “Ali vai um missionário;...