sábado, 28 de março de 2015

CABELOS DE MILHO





A tarde calma estendia sombras enormes no quintal. De vez em quando o vento bulia com a água abandonada no tanque de cimento, rodopiando pequenas ondas circulares como restos de sonhos, que iam e vinham, balançando as folhas amareladas que caíam na água e saíam flutuando como barquinhos de papel.

sexta-feira, 6 de março de 2015

O HOMEM NO OUTRO LADO DA JANELA


O fotógrafo Anton Giulio Bragaglia e o seu "Doppelganger" em 1913


O Diabo às vezes permeia a sua sombra nefasta entre nós de forma sutil, mas neste caso específico, engendrou ele uma diabólica maquinação. Verdadeiramente, divertimento para ele é causar confusão e disparates. 

Mas, se isto for mesmo obra do Diabo, como diz dona Glória, entronizada em seus já setenta anos de existência, no ofício de secretária já há mais de cinquenta anos, não é nada de se duvidar, afinal, alguém que chegue são e salvo aos setenta e é certo que já tenha visto todo tipo de coisas neste mundo. E se ela diz que o que se passará, é coisa do Diabo, convenhamos, é melhor acreditar, pois outra explicação não há.

ATRAVÉS DA JANELA

​ Como fazia todos os sábados, lá pelas onze horas, onze e meia, o velho advogado chegava ao bar e sentava numa mesa - quase cativ...